Edição do mês

Edição do Mês

EDIÇÃO nº54

SUMÁRIO

EDIÇÕES ANTERIORES

ASSINE

COMPRE



Notícias

Um livro em 10 formatos acessíveis é um mundo que se abre


 

Atualizado em 03/04/2017

 

A Fundação Design For All, com sede em Barcelona, na Espanha, elegeu o nosso projeto Leitura acessível. Todas as Pessoas Têm Direito a Conhecer Todas as Histórias, desenvolvido com a WVA Editora, como uma das melhores práticas do mundo em design. Sim! O reconhecimento é para a Escola de Gente e para o Brasil: este é o primeiro produto nacional a obter este selo.
 

Quem você seria se nunca tivesse lido um livro na vida? É a pergunta que o ativista Naziberto Lopes faz com frequência, e a Escola de Gente endossa. Já parou para pensar sobre isso? A ausência de publicações em formatos acessíveis encurrala pessoas com deficiência em um mundo paralelo. Nele, não se tem acesso às histórias e aos fatos. A leitura deixa de ser uma prática simples, do dia a dia. O fluxo de informações transmitido de uma geração para outra é interrompido. A perda de conteúdos cotidianamente traz um dano imensurável para qualquer pessoa. Por isso leitura acessível é mais do que livro acessível. A Escola de Gente deseja reinserir crianças e adolescentes às suas gerações.
 

O projeto Leitura acessível. Todas as Pessoas Têm Direito a Conhecer Todas as Histórias nasceu com o livro “Sonhos do Dia”, escrito pela nossa fundadora, Claudia Werneck, e publicado pela WVA em 10 formatos acessíveis simultâneos.
 

Em 2015, a pedido da Escola de Gente, o cenógrafo Tadeu Catharino criou uma instalação, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio, na qual era possível usufruir de um roteiro pedagógico interativo e gratuito para experimentar as 10 formas diferentes de se ler a obra.



Conteúdo Digital

Coloque o código da revista

Newsletter

Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.